Notícias

+ Notícias

08/11 - Ministro da Saúde reforça incentivos à produção de medicamentos


Por  Sincofarma MG  Postado 09/11/2016

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou na manhã desta terça-feira (08), no Senado Federal, do 8º Fórum Nacional de Medicamentos no Brasil. O encontro reuniu cerca de 100 pessoas da área de indústria e comércio do setor, além de deputados e representantes do governo. O evento tinha como objetivo auxiliar o aprimoramento das políticas de medicamentos no país, com o intuito de identificar estratégias para ampliar o acesso a medicamentos essenciais.

Em sua apresentação, Ricardo Barros destacou as principais ações realizadas pelo Ministério da Saúde para ampliar o tratamento de pacientes, como por exemplo, as atualizações de protocolos de diretrizes terapêuticas, as quais ele pretende dar maior velocidade no processo. Com isso, esperam-se tecnologias que tirem o paciente mais cedo da internação, além de gerar mais economia e melhor resultado. A ampliação da oferta gratuita de medicamentos, também, foi abordada pelo ministro, que destacou o crescente número de insumos para os pacientes do SUS.

“Esse assunto tem tido uma atenção muito especial. Aliás, temos trabalhado de forma muito determinada em melhorar a compra no setor de medicamentos. Conseguimos resultados muito significativos. Temos feito uma nova abordagem nesta área, e com excelentes resultados”, declarou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

As parcerias de desenvolvimento produtivo (PDP’s), também, foram citadas pelo ministro, que destacou os acordos realizados com todos os interessados, e os contratos e pareceres de investimentos na ordem de R$ 6,4 bilhões, que devem ser assinados nos próximos dias. Com esse recurso, será possível aprimorar as áreas de medicamentos biológicos, sintéticos, além de equipamentos em saúde. “Teremos um resultado mais rápido para o Brasil, no sentido da produção nacional de medicamentos e insumos, incluindo desenvolvimento e transferência de tecnologia”, finalizou Ricardo Barros.

GESTÃO – Por fim, o ministro da Saúde, Ricardo Barros apresentou aos presentes no fórum, a economia de R$ 1 bilhão realizadas nos primeiros 100 dias de gestão, com a renegociação de contratos e medidas de gestão. Isso possibilitou a realocação de recursos para a ampliação de acesso aos medicamentos e serviços como financiamento de UPAS.

Ao renegociar a compra dos medicamentos Daclatasvir, Sofosbuvir, Simeprevir, que trata a hepatite C e o inovador Dolutegravir, para pessoas que vivem com HIV/Aids, o ministro informou redução de 7% no valor unitário nas compras em reais, e 17% na unidade na aquisição em dólares.

Outra negociação que gerou economia foi a revisão do contrato do Plano de Expansão da Radioterapia, que reduziu em R$ 25 milhões o valor acordado inicialmente. O primeiro contrato previa a compra de 80 aceleradores lineares. Além da redução do valor, o Ministério da Saúde conseguiu viabilizar um aditivo para compra de mais 20 equipamentos, essenciais para o tratamento do câncer.

Além disso, seguindo a determinação do Palácio do Planalto em enxugar a máquina pública, o ministro ressaltou que foram extintos mais de 330 cargos comissionados e 500 bolsas, que não tinham uma função definida no ministério. A revisão de contratos de informática, feita em sua gestão, também permitiu à pasta chegar numa economia de mais de R$ 80 milhões por ano.

 

Ricardo Barros destacou, ainda, o descontigenciamento de R$ 6,3 bilhões que garantiu o pagamento de compromissos assumidos para o financiamento do SUS, e a ampliação do orçamento para a saúde que deve chegar a quase R$ 120 bilhões no ano de 2017.

Fonte: Portal da Saúde