Notícias

+ Notícias

09/01 - Vacinação contra HPV é iniciada em meninos


Por  Sincofarma MG  Postado 17/01/2017

A vacinação nacional contra o papiloma vírus humano (HPV) para meninos de 12 e 13 anos começou nesta segunda-feira, 9, e, a princípio, todos os 417 municípios baianos deveriam dar início ao processo de imunização de garotos nesta faixa etária. 

Algumas cidades do estado, no entanto, não puderam seguir o calendário por problemas com o espaço de armazenamento e, sobretudo, por conta de mudanças na gestão municipal.

A subcoordenadora do Programa Estadual de Imunização, Vânia Rebouças, informa que há estoque suficiente para abastecer e fazer a distribuição para todos os municípios baianos, mas que, com a transição política, muitas equipes foram demitidas e não foram substituídas.

Equipe

“Em algumas cidades não há equipe e gestor de imunização, o que dificulta o processo”, diz. Ela não informou, no entanto, quantos e quais municípios da Bahia estão nesta situação.

“Não saberia te dizer isso agora, mas é importante frisar que a implementação das mudanças preconizadas no Calendário Nacional de Vacinação é uma responsabilidade de cada município” pontua.

Na Bahia, a estimativa é vacinar 280 mil meninos de 12 e 13 anos, cerca de 45 mil em Salvador, no esquema de duas doses, com intervalo de seis meses entre elas.

De acordo com a diretora de vigilância à saúde de Salvador, Geruza Moraes, na capital, as vacinas estão sendo disponibilizadas gratuitamente em 126 postos de saúde. Para ser imunizado, basta levar documento de identificação com foto, cartão do SUS e cartão de vacinação.

Até esta segunda, ainda não havia informações sobre a adesão dos adolescentes no primeiro dia de vacinação. “Como não é uma campanha especial, trata-se de uma vacina de rotina, não fazemos um balanço. Mas vamos fazer um levantamento dos dados para saber como foi a procura”, disse.

O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

A estratégia do Ministério da Saúde tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. A definição da faixa-etária para a vacinação visa proteger as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus.

Em todo país, a expectativa é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos em 2017, além de 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids, que também passaram a receber as doses.

Para os que vivem com HIV/Aids, o esquema vacinal é de três doses, com intervalo de dois e seis meses, respectivamente. Nesses casos, é necessário apresentar prescrição médica.

Outra novidade é a inclusão das meninas que chegaram aos 14 anos sem tomar a vacina ou que não completaram as duas doses indicadas. A estimativa é de que 500 mil adolescentes estejam nessa situação.

Fonte: A Tarde