Notícias

+ Notícias

13/10 - Medicamentos Genéricos: A Diferença Está No Preço


Por  Sincofarma MG  Postado 13/10/2016
 
Não são as marcas que garantem a eficácia dos medicamentos. Para a maioria das doenças existem medicamentos genéricos que têm a mesma composição, os mesmos efeitos e o mesmo controlo de qualidade e segurança que os medicamentos de marca. A diferença é o preço, para si e para o Serviço Nacional de Saúde. O que se poupa permite um maior acesso a tratamentos inovadores para quem necessita.

O que são medicamentos de marca e medicamentos genéricos?
O medicamento de marca (ou original) é o medicamento que deu origem, através de investigação, a uma nova substância ativa. A substância ativa é o ingrediente do medicamento que tem ação terapêutica no organismo. Os medicamentos genéricos têm a mesma substância ativa, forma farmacêutica e dosagem que o medicamento de marca, tendo assim o mesmo efeito e benefício.

Como é avaliada a qualidade, segurança e efeitos dos medicamentos genéricos?
A avaliação dos medicamentos genéricos e dos medicamentos de marca segue os mesmos requisitos legais e europeus, que incluem a realização de vários testes antes da comercialização. Esta avaliação é realizada pela Agência Europeia do Medicamento ou pelo Infarmed.

Os genéricos podem ter aspeto diferente dos medicamentos de marca?
Podem. O aspeto do medicamento, quer seja genérico ou de marca, está relacionado com a tecnologia usada pelo fabricante (tipo de máquina, corante, entre outros). Apesar de existirem diferenças na forma, tamanho ou cor do medicamento, não há comprometimento da qualidade, segurança e eficácia dos medicamentos genéricos.

Porque razão os medicamentos genéricos são mais baratos?
Porque não têm os custos de investigação dos medicamentos de marca.

E são tão bons como os medicamentos de marca?
Sim. Os genéricos têm os mesmos requisitos de qualidade dos medicamentos de marca no seu desenvolvimento, fabrico, controlo da qualidade e fornecimento.

Qual a vantagem dos medicamentos genéricos para os utentes?
Tratar a doença com medicamentos equivalentes a menor preço. Em 2015, o utente gastou menos 2,36 euros por embalagem ao adquirir o genérico.

Quais os benefícios dos medicamentos genéricos para a sociedade?
Poupança para o doente e para o Serviço Nacional de Saúde.
As poupanças obtidas possibilitam tratar mais doentes com medicamentos inovadores e muito caros.

Como reconhecer um medicamento genérico?
Os medicamentos genéricos apresentam a sigla “MG” na caixa exterior.

Como é feita a prescrição de medicamentos?
Em regra, a prescrição de medicamentos é feita pela denominação comum internacional (DCI) da substância ativa (exemplo: ibuprofeno, paracetamol, sinvastatina, entre outros).

Como é feita a dispensa de medicamentos?
Sempre que a prescrição é feita por DCI, a farmácia é obrigada a dispensar um dos medicamentos mais baratos, exceto se o utente escolher outro medicamento, pagando a diferença.

Posso escolher o medicamento que quero comprar?
Sim. Mas tem de informar o farmacêutico sobre qual o medicamento que pretende levar, pagar a diferença (se houver) e assinar a receita ou indicar ao farmacêutico o código “Direito de opção” que consta da guia de tratamento na Receita Sem Papel.

Como posso saber quais os medicamentos mais baratos?
Na farmácia, o farmacêutico tem a obrigação de informar sobre os preços dos medicamentos. Estes preços podem ser consultados no site do Infarmed em “Pesquisa Medicamento”, através da aplicação e telemóvel “Poupe na Receita” (disponível para iOS e Android) ou contactando a Linha do Medicamento – 800 222 444.

E quando a minha farmácia não tem o medicamento de que necessito?
As farmácias são obrigadas a ter disponíveis os medicamentos de preço mais baixo. No caso de não os poderem fornecer de imediato, têm 12 horas para o fazer.

Fonte: Jornal Nordeste