Notícias

+ Notícias

Motivação e Sucesso: A incoerência entre o discurso e a prática


Por  Sincofarma MG  Postado 17/09/2018

A enquete acima não deixa dúvidas de que o maior problema que as pessoas veem ou sentem nas empresas é a incoerência entre o discurso e a prática.

Vejam acima que mais de 19.800 pessoas participaram e 36,2% apontaram ser esse o maior problema.

Estou comentando isto porque estamos em tempos eleitorais e o que mais exigimos dos candidatos é justamente a coerência entre o que pregam e o que fazem, entre o que prometem e o que cumprirão. A indignação que vemos com os políticos parece ser muito parecida com o que esta enquete nos mostra. Até nas empresas, se fala uma coisa e se pratica outra e isso é claramente percebido pelos colaboradores, clientes e fornecedores.

Da mesma maneira como os políticos e candidatos fazem um discurso bonito, cheio de princípios éticos e morais elevados, a enquete parece mostrar que na empresa os discursos de preocupação extrema com a qualidade, com o atendimento, com a cooperação interna, com a avaliação das pessoas, com a execução e com o foco, parecem ficar apenas nos discursos, com raras e honrosas exceções.

O que quero chamar a atenção é para o fato de que essa incoerência é realmente o que mais incomoda as pessoas. Com esse sentimento incômodo, a consequência natural é o desengajamento, a desmotivação, a falta de comprometimento por parte dos colaboradores. Pois, como muitos nos disseram nas recorrências que fizemos desta enquete, o que as pessoas falam não se pode escrever, pois raramente cumprirão da forma como prometeram, como afirmou uma das pesquisadas.

Desde o uso dos EPI (equipamentos de proteção individual) até os cuidados com a qualidade e com o atendimento a clientes e fornecedores, as pessoas pesquisadas nos afirmaram que essa incoerência entre o que se fala e o que se pratica é o que mais incomoda.

Muitas empresas têm missão, crenças e valores impressos em belos quadros. O desafio é fazer valer na prática do cotidiano essas crenças e valores tanto internamente quanto para o mercado e fazer com que todos, sem exceção, sejam comprometidos na execução desses conceitos abstratos para que não haja incoerência entre o discurso e a prática.

Pense nisso. Sucesso!

 

Por Luiz Marins