Notícias

+ Notícias

Motivação e Sucesso: Não confunda paciência com complacência


Por  Sincofarma MG  Postado 20/04/2018

A paciência é a virtude de manter a serenidade diante de uma adversidade e nos momentos de necessidade. Já complacência é a disposição habitual para corresponder aos desejos de outrem com a intenção de agradar.

Há pessoas que confundem paciência com complacência. Ser paciente não é ser complacente. Conheço chefes, encarregados, supervisores e até gerentes e diretores que, com a intenção de serem pacientes acabam fazendo vista grossa e até mesmo permitindo o erro, a falta de comprometimento, a desídia, e até malfeitos de seus subordinados.

Tenho explicado a essas pessoas que isso não é ser paciente e sim complacente. Lembro-me de um caso de um gerente de produção que era muito exigente em relação à qualidade do trabalho de seu pessoal. Com isso alguns de seus subordinados, pouco dedicados e até preguiçosos, fizerem uma reclamação dele ao RH da empresa pelo fato de ele, apesar de ter paciência para ensinar seus subordinados era “exigente demais com a qualidade”.

Esse gerente foi chamado a atenção pelo RH numa pesquisa de clima e como resultado passou a ser complacente com a baixa qualidade com sérios prejuízos para a empresa.

Ora, ser “exigente demais com a qualidade” não é defeito e sim virtude de qualquer gerente de produção.

Em toda empresa haverá sempre pessoas pouco afeitas ao trabalho sério, à atenção aos detalhes e ao comprometimento. Cabe às lideranças identificar esses casos e fazer as correções necessárias. Os líderes não podem ser complacentes com quem não seja comprometido com a qualidade e com o futuro da empresa, nem com os descomprometidos com os clientes.

É óbvio que se exige das lideranças, polidez, educação e muita paciência para ensinar, para treinar, para mostrar o caminho certo, mas líderes não podem confundir paciência com complacência. Por isso são líderes e líder é aquele que se desafia para que seu time atinja resultados.

Pense nisso. Sucesso!

PENSE NISSO:

• Líderes complacentes com o erro, com a falta de comprometimento, desmotivam os que são comprometidos e buscam a perfeição.

• “Quem poupa os maus, ofende os bons” diz um ditado latino. Se os maus e os bons têm o mesmo tratamento e benefícios, qual a vantagem em ser bom?

• Pense se você, como líder não é complacente demais e exigente de menos.

• Você, como líder, é paciente ou complacente?

 

Por Luiz Marins