Notícias

+ Notícias

RECONHECIMENTO, TRABALHO E RESPONSABILIDADE


Não poderia deixar de iniciar esta mensagem com uma palavra de agradecimento ao governador Antonio Anastasia e à presidenta da República, Dilma Rousseff.

Foi das mãos de ambos que recebemos, em 21 de abril, a Medalha da Inconfidência, Categoria Grande Medalha, uma honraria concedida anualmente pelo governo de Minas Gerais a pessoas e instituições que se destacam pelo engrandecimento do Estado e do País. Foi, pois, com muito orgulho que a recebemos.

A homenagem tem uma dimensão muito maior do que a simples satisfação pessoal, pois ela representa o reconhecimento ao trabalho que o Sistema Fecomércio Minas (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais), Sesc, Senac e Sindicatos, vem disponibilizando às empresas e à sociedade de Minas.

O compromisso da atual diretoria, desde que assumimos esta gestão, foi o de atuar de forma pragmática pelo fortalecimento do setor de comércio de bens, serviços e turismo, dando a ele voz e a força que merece no cenário regional e nacional.

Temos trabalhado para integrar e interiorizar cada vez mais as ações da Fecomércio, Sesc, Senac e Sindicatos, além do Sebrae-MG, colocando nossa vocação e infraestrutura à disposição dos empresários e trabalhadores, em busca de qualificação e excelência em mão de obra.

Paralelamente, temos buscado alianças e uniões onde identificamos oportunidades de trabalho em conjunto. Enfim, estamos cumprindo a agenda para a qual fomos eleitos. Portanto, a Medalha da Inconfidência é, na verdade, o reconhecimento público ao trabalho do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos.

O Brasil, apesar das turbulências internacionais, continua em franco crescimento. A missão do sistema comércio de bens, serviços e turismo neste momento – e é assim que queremos continuar sendo reconhecidos – é oferecer ao país todas as ferramentas que dispomos para continuar avançando. Neste momento, a principal ameaça à economia é a inflação. Todos – empresas, entidades públicas e privadas e governo – temos que fazer nossa parte para vencê-la. A estabilidade econômica foi uma dura conquista dos brasileiros e não podemos perdê-la.

É uma responsabilidade de todos. Ao governo, cabe implementar políticas econômicas cuidadosamente planejadas, para não penalizar a sociedade. De fato, a principal ajuda do governo é cortar os próprios gastos, reduzindo a dívida pública e a emissão de moeda.
Às entidades, cabe continuar capacitando a mão de obra e o empresariado. Aos empresários do sistema comércio de bens, serviços e turismo, cabe o bom senso de não aumentar preços de forma desenfreada. Se isto acontecer, o resultado – que não interessa a ninguém – será a fuga da nova classe média brasileira, que acaba de ingressar no mercado de consumo. E às lideranças cabe, através das entidades nas quais atuam, trabalhar para melhorar sempre as condições para empreender com segurança e simplificação, dentro de um ambiente concorrencial mais justo.

É um momento muito importante na vida econômica do país. Um momento de exercitar o bom senso e dividir responsabilidades. Façamos nossa parte.

Até breve.
Positividade Divina Sempre!

Lázaro Luiz Gonzaga

Fale com o presidente
Envie e-mail para:  presidente.sincofarma@sindicatos.fecomerciomg.org.br
sincofarma@sindicatos.fecomerciomg.org.br